Crônicas

Tudo acontece, quando acontece...

A primeira vez a gente nunca esquece. Até hoje lembro de todos os detalhes daquela noite mágica. Foi meu êxtase de prazer, na minha então, vida juvenil. Lhes juro que mesmo estando muito nervoso mandei muito bem, pelo menos foi o que Eliane, minha namorada, na época, falou. Devo acreditar nela, né?

Naquela manhã estiquei as pernas e me espreguicei na única réstia de sol que encontrei no espaço dedicado para nosso acampamento no amplo parque de Santa Cruz do Sul onde ocorria o Enart. Viajamos a noite inteira. Foi uma boa viagem, apesar de pegarmos chuva na estrada, o que aumentou consideravelmente nosso tempo até o destino.