O alarmismo da mídia

10/04/2020

Foto: Reprodução Rede Globo
Foto: Reprodução Rede Globo

Nos últimos dias você deve ter ouvido muitas pessoas, cheias de razão, usarem as redes sociais para acusarem a imprensa de um alarmismo em relação ao Coronavírus.

Fato é que a imprensa brasileira, tem abordado o assunto pelo prisma da negatividade. Evidente que não há lado positivo nos casos de Coronavírus, mas nem tudo é desgraça também.

A linha editorial do jornalismo brasileiro sempre foi voltada para a desgraça. É histórico. A desgraça é notícia mais importante do que o cotidiano corriqueiro, porque em tese, o corriqueiro não é notícia.

Mesmo cheio de ressalvas ao jornalismo que é feito por certos meios de comunicação ou programas, é importante se analisar a questão sobre o ponto de vista factual. Se a notícia é verdade, ela não está errada, seja ela mal ou boa. Notícia não é dada para agradar alguém e sim para informar.

O que é preciso entender é que as notícias boas não impedem as notícias ruins de acontecer. A Itália, Espanha e Estados Unidos estão mesmo registrando um grande número de mortes diariamente. A imprensa não inventou essas informações, as autoridades desses países é que divulgaram.

Pessoas estão sendo sepultadas em caixões de papelão no Equador. A imprensa não inventou isso. As autoridades locais divulgaram para os jornalistas.

O Brasil tem mesmo mais de 800 mortes, não é invenção da imprensa. O Ministério da Saúde está divulgando esses números diariamente. As pessoas estão morrendo em todos os estados brasileiros. Isso não é alarmismo da imprensa, isso é fato.

É importante que você entenda que a imprensa, aquela séria, não inventa informações, ela notícia fatos e esses fatos partem de algum lugar. Nestes tempos de crise, geralmente, dos órgãos oficiais do governo. Isso não é fato.

Você tem direito de gostar ou não de uma empresa de comunicação ou de um programa. Tem direito de trocar de estação, mudar de site, trocar de canal quando não gosta de algo que está sendo transmitida, mas não esqueça que infelizmente, não é porque você não gosta, que as coisas não vão acontecer. Fato é fato.