Bolsonaro não sabe liderar ou não sabe escolher equipe?

25/04/2020

Gabriela Biló (publicada no Estadão)
Gabriela Biló (publicada no Estadão)

Independentemente do que você acredite, é importante que você veja as coisas com clareza. O Governo está passando por uma fase muito difícil no que se refere a condução política.

Bolsonaro perdeu dois ministros extremamente populares. Mandetta havia conseguido uma simpatia relâmpago por sua forma de conduzir a crise do Coronavírus. Caiu antes que pudesse colher essa popularidade.

Mandetta é um político e como tal, aproveitou para buscar destaque durante um período de crise. Sua queda vem por causa desse desencontro. Arranhou o apoio que o governo tinha, mas o fato dele ser um desconhecido, que havia surgido a poucos dias para o holofote, aliado ao fato que é do DEM, partido de Rodrigo Maia, conseguiu criar uma cortina para minimizar os efeitos dessa ranhura.

Moro não é político. Moro é popular. O ex-juiz é um símbolo de boa parte das bandeiras que levaram Bolsonaro a presidência. O pedido de demissão e as duras críticas e acusações que ele fez ao presidente tem um peso muito grande justamente naquela parcela de eleitores que foram a diferença entre o primeiro e o segundo turno e foram os votos que elegeram o presidente.

Bolsonaro ataca Moro e não deixa saída, para o agora seu ex-ministro, a não ser entrar para a política. Os Bolsonaristas podem não reconhecer, e eles, assim como os lulistas fazem em relação a Lula, preferem ver só o que querem, mas Moro é um adversário considerável.

Dos nomes que iniciaram o Governo e que deram credibilidade a gestão liderada por Bolsonaro, sobrou apenas Paulo Guedes. Se Bolsonaro perder mais esse ministro, uma coisa urge dos corretores de Brasília: Bolsonaro não sabe liderar ou é péssimo para escolher seus subordinados.