Bolsonaro está certo e errado

25/03/2020

Foto; Reprodução
Foto; Reprodução

O discurso do Bolsonaro foi o assunto mais comentado nas últimas horas. Se você estava em Marte e não sabe de que estou falando, ele, em resumo, criticou as medidas de isolamento social que foram adotadas em todo o Brasil.

Na minha opinião, o presidente Bolsonaro está certo em se preocupar com a questão econômica, principalmente das famílias, mas a grande verdade é que se a economia para o país para e algumas mazelas sociais que estão embaixo do tapete vão aparecer no meio da sala.

Do outro lado está a doença que está longe de ser um "resfriadinho" como o presidente falou. O índice de mortes é maior entre os mais idosos, mas não se resume a somente essa faixa etária.

Hoje, o repórter do Sistema Província, Eduardo Salvadori, fez um levantamento que mostrou que 15% da população portelense tem mais de 60 anos. Vale lembrar que o Rio Grande do Sul é o estado com maior número de idosos o Brasil.

Bolsonaro como presidente precisa sim se preocupar com a economia e até podemos discutir se o fechamento ocorreu no momento certo, mas tratando-se de uma doença que não tem remédio e que tem matado pessoas em todo o mundo, e onde o globo é quase inanime em dizer que o isolamento tem sido a única saída para diminuir os casos, não podemos fugir desta recomendação.

Bolsonaro está certo e está errado. O problema é, que neste momento, a questão na qual Bolsonaro está certo não pode prevalecer sobre a questão em que ele está errado. E ele como chefe de estado não notar isso é assustador.

No fim fico com a frase de Mirna Braucks: "Neste momento, é melhor pecar por excesso do que falhar pela inércia." Não é mesmo?