Escritor
Poesias - Crônicas - Contos

Última noite

11/12/2019

Naquela noite, Arnaldo estava fritando peixes na cozinha quando o filho entrou, todo perfumado e sorrindo. O menino abriu a geladeira pegou uma garrafa de água, destampou e levou a boca. Por um instante, Arnaldo pensou em chamar a atenção e mandá-lo pegar um copo, mas desistiu. A mulher tinha saído para visitar uma amiga que estava de aniversário,...

Ninguém tem a obrigação de acreditar em você. A sua capacidade precisa e vai ser provada todos os dias, por isso, antes de começar qualquer coisa coloque em mente que você é capaz.

Uma vez alguém me disse que precisava aproveitar a vida, porque ela era uma só. Essa frase sempre mexeu comigo. A vida é apenas uma, por isso, não podemos desperdiçar, errar ou fracassar. Levei anos para entender que as coisas não são bem assim.

Naquela manhã estiquei as pernas e me espreguicei na única réstia de sol que encontrei no espaço dedicado para nosso acampamento no amplo parque de Santa Cruz do Sul onde ocorria o Enart. Viajamos a noite inteira. Foi uma boa viagem, apesar de pegarmos chuva na estrada, o que aumentou consideravelmente nosso tempo até o destino.

Busquei em outras bocas o seu beijo,
Em outros braços ou seu calor,
Em outros olhos busquei sei desejo,
Em outras almas procurei seu amor.

Todos os vencedores têm algo em comum. Seja no esporte, na guerra ou na vida. As pessoas que conquistam carregam a mesma marca. Eles não desistem diante das dificuldades.

Como você está usando o seu tempo? Essa é uma pergunta muito importante que você deve se fazer todos os dias ao acordar. Você está usando bem o seu tempo?

Gilson foi meu colega desde a sétima série. Ele se destacava em meio a maioria de nós. Era pelo menos 30 centímetros mais alto que qualquer menino da nossa idade. Além disso, era aquele gordo forte. Ágil, jogava futebol, corria como qualquer um dos colegas, mas pesava quase o dobro de todo mundo e mais forte que qualquer um de nós....

O Bar do Mário, que já não existe mais. Ficava localizado, onde hoje, pelo que sei, existem casa de moradias, cheguei a morar no local muitos anos depois.

Amar é se encantar com a insignificância,
É dar relevância a irrelevância,
É perdoar o imperdoável.